Home VETERINÁRIA SAÚDE DICAS
Home
VETERINÁRIA
SAÚDE
DICAS
FALE CONOSCO
Fibrosarcoma_aplicacao

FIBROSARCOMA DE APLICAÇÃO

Sarcomas são neoplasias malignas com origem no tecido conjuntivo. Seu diagnóstico baseia-se nos sinais clínicos, exame físico, exames laboratoriais, de imagem e primariamente o histopatológico. O sarcoma de aplicação, acometem frequentemente gatos, formando um nódulo solitário firme que pode aparecer semanas após a vacinação contra o vírus da leucemia felina e vacinação anti-rábica, além da administração de medicamentos, terapia de fluido, entre outros. O tratamento é uma combinação entre excisão cirúrgica de ampla margem de segurança, com sessões de quimioterapia e radioterapia, com o objetivo de fornecer um prognóstico mais favorável. 

Estas neoplasias geralmente são nódulos firmes e aderidos a pele ou músculo, tem comum incidência em gatos, especialmente em animais adultos, representando em torno de 15 a 17% de todos os tumores cutâneos nesta espécie.

O fibrossarcoma, uma neoplasia comum em derme e tecido subcutâneo de gatos, tem aumentado a sua frequência devido à associação com vacinação ou outros medicamentos injetáveis, nesses casos o tumor se desenvolve no local da aplicação e a probabilidade de desenvolvimento aumenta com o número de vacinas administradas num único local, tais tumores podem aparecer após meses ou anos da aplicação da injeção.

Uma reação inflamatória pode preceder o desenvolvimento desta neoplasia, deve-se suspeitar de sarcoma vacinal em qualquer gato com massa superficial ou profunda.

Muitas vezes as lesões assemelham-se a granulomas pós-vacinais, além do rápido crescimento, esse tumores são altamente invasivos, sendo que, de 10 a 24% podem migrar para outros locais principalmente pulmões, mas frequentemente também ocorre em direção aos linfonodos regionais, pele e oculares. As lesões avançadas são volumosas, fixas e, ocasionalmente, ulceradas.

Para o diagnostico da doença a anamnese, o exame físico, exames laboratoriais e de imagem são essenciais. O diagnostico definitivo da doença é realizado por análise histopatológica. Deve-se admitir caráter maligno das lesões até que se prove o contrário.

A quimioterapia pode ser utilizada no pré ou pós- operatório, quando a cirurgia não é efetiva, nos casos de recidiva, metástase ou quando o tumor não for passível de ressecção cirúrgica. No presente momento, um tratamento múltiplo que inclua a cirurgia agressiva, radioterapia e quimioterapia, parece oferecer um melhor prognóstico aos pacientes portadores de sarcoma pós-vacinal.

A prevenção pode ser feita através da avaliação do risco versus benefício sobre qualquer medicação injetável e todos os tipos de vacinas para felinos, devendo estes serem considerados cuidadosamente. Os gatos que necessitem de aplicações injetáveis devem ter a localização, via de aplicação, o nome do medicamento/vacina, fabricante e o lote anotados na ficha clínica, para que este local seja evitado em novas aplicações, bem como possam ser observadas alterações nestes determinados locais, principalmente em aplicações subcutâneas.

Prognóstico no sarcoma de aplicação é de reservado a ruim, depende da graduação histopatológica, do tamanho do tumor, da localização e da ressecção com as margens de segurança. Portanto em tumores grandes, localizados em áreas de difícil excisão, associado à presença de metástases o prognóstico é desfavorável.

(Fonte: REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE MEDICINA VETERINÁRIA – ISSN: 1679-7353 Ano XI – Número 20 – Janeiro de 2013)

Site Map